Testamos a demo do novo Zelda

The Legend of Zelda: Breath of the Wild renova a franquia da Nintendo

Eduardo Andrade
18/06/2016 00h57

Mesmo com o evento só começando às 12h00, cheguei cedo. Sentei em frente aos monitores do Twitch e esperei para ver a apresentação da Nintendo.

Três dias e um espaço enorme que parecia ser um desperdício para um único jogo.

Assisti a pequena apresentação do Pokémon Sun and Moon e esperei para ver o que me aguardava em Zelda. Com a demonstração, ainda fiquei com aquela cara de: Só isso?

Abriram as portas para a E3 e fomos para as filas (algo que me lembrou muito o Playcenter). Como já era de se esperar, fui direto para a fila de Zelda.

Fui informado que alguns membros da imprensa, da América Latina, tem acesso V.I.P e o que poderia levar horas, levou minutos. Entramos acompanhados de um representante da Nintendo.

Todo o espaço da Nintendo assusta. Se a Sony deu um show na conferência (vídeo), a Nintendo deu um show na apresentação do jogo.

Primeiro, você fica em um espaço onde foi explicado dos controles e um pouco sobre o jogo. Nesse primeiro espaço, parece que você está no Shrine of Rebirth, lugar onde o Link acorda no jogo.

No segundo ambiente é onde podemos jogar o novo Zelda (essa é a melhor parte), por todo o espaço temos elementos do jogo.

Inimigos espalhados, uma bela estátua do Link com o arco em mãos, algumas coisas cozinhando como no jogo e um sensor de proximidade.

A comida começa a ser preparada quando você se aproxima. Também temos, na cenografia dia e noite, frio e calor e o mais legal, até o barulho de chuva acompanhado com raios, que mudam a iluminação do ambiente.

Partimos para o segundo andar, área V.I.P com poucos monitores e disponível duas Demos para jogar. Naquele momento começou a minha alegria!

Antes de começar a jogar Reggie Fils-Aimé, o presidente da Nintendo das Américas, fez uma aparição bem rápida. Não tirou fotos, não conversou com os convidados e nem explanou. Só mencionou rapidamente que não tinha tempo.

Vamos as Demos...

The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Essa primeira Demo, conta um pouco da história do jogo, mas só um pouco mesmo.

O Link acorda de um bom sono de 100 anos sem nenhuma memória. Pega um item Sheikah Slate, que lembra muito o controle de Wii U, encontra um velho sábio, que lhe dá algumas direções e fica ouvindo umas vozes que ele não se lembra de quem é.

Logo ao fim da primeira quest, você descobre que Hyrule está sofrendo por causa de Calamity Ganon.

A segunda Demo é a mais divertida. Você joga com um Link que está mais afrente na história, mostrando alguns novos elementos do jogo.

Esse Link tem a nova bomba, com a possibilidade de guardar, caso não use. Quando você solta a bomba e não explode é possivel pegar e guardar novamente.

Não podemos mais pegar coraçãozinho na grama. Para encher o HP temos que comer no jogo. O combate tem muitos elementos novos com diversas armas. Agora, podemos desarmar o inimigo e pegar as armas. As que tinham na Demo se quebravam após algumas pancadas, assim como, os escudos.

Os escudos possuem uma das novas habilidades mais legais, até o momento. Você pode sair correndo pular e começar a surfar no escudo. Isso vai te ajudar a ir mais rápido, porém, destrói o escudo muito cedo. É uma boa opção já que o Link não rola!

Uma das grandes mudanças no jogo e ajuda na parte da exploração é escalar. Simplesmente, podemos subir nas paredes do jogo, apenas gastando Stamina. Um processo que até parece mágico, já que o Link escala paredes lisas, igual ao Homem-Aranha.

Ainda temos muito a descobrir desse novo Zelda. Apesar de ser enorme, só jogamos uma parte muito pequena do mapa. Uma coisa é certa, esse jogo eu compro. Só resta saber se no Wii U ou no NX.

Antes de encerrar, preciso falar da funcionalidade do Amiibo de Wolf Link, que deixa muito legal o jogo. Um lobo fica te seguindo igual um familiar.

GeraLinks - Agregador de links