Project Resistance | Testamos o game durante duas horas

Agora testamos com calma

Wagner Alves
15/11/2019 04h43

Fomos convidados pela Capcom para testar, novamente, o Project Resistance. Diferentemente do que foi na BGS 2019, agora pudemos testar com calma, sem todo alvoroço da feira e durante duas horas. A build era a mesma, porém, o foco desse teste foi desfrutarmos de cada personagem com calma e assim avaliarmos suas diferenças e o game como um todo.

Para quem ainda não ouviu falar nada de Project Resistante, ele é um daqueles multiplayers assimétricos para 5 pessoas, onde teremos quatro sobreviventes tentando escapar e um vilão para impedi-los numa sequência de três mapas. Irei descrevê-los na sequência na qual os testei.

Comecei pela linda e fofa Valerie Harmon, a healer do time, sua habilidade comum consiste num sonar onde ela marcará itens e inimigos próximos, inimigos marcados levam mais danos quando atacados, em sua 'ultimate' ela coloca um aparelho no chão que cura todos que estão ao redor dele, não me recordo da sua habilidade passiva. January Van Sant, a hacker do grupo, possui a habilidade de hackear temporariamente as câmeras utilizadas pelo vilão e sua ultimate dobra o valor que o vilão terá que gastar com suas 'cartas', como habilidade passiva ela dá mais dano que os demais quando atira nas câmeras. Tyrone Henry, o tanque, sua habilidade é um chute poderoso capaz de derrubar qualquer zumbi e ate mesmo atordoar o Mr.X, sua ultimate é animar/ aumentar a moral dos seus companheiros que estão por perto, diminuindo assim o dano recebido por um curto período de tempo, e como habilidade passiva ele pode 'derrubar' as portas com menos ataques. Encerrando os sobreviventes, temos o Samuel Jordan, o pugilista, sua habilidade é um soco rápido de dano alto, já sua ultimate é os 'punhos de ferro', onde o personagem assume a pose de boxeador e você pode desferir socos a vontade num curto período de tempo. Como vilão temos o Mister Mind (Daniel Fabron), sua função é impedir que os sobreviventes escapem, ele tem acesso ao mapa através das câmeras do local e tem um leque de cartas para usar e invocar monstros conforme sua barra de uso cresça.

Sobre o gameplay, jogando com os sobreviventes, estamos acordando e damos início ao primeiro mapa, nele não há muitos segredos, devemos apenas pegar 3 peças para encaixar no enigma do lado do elevador para poder acessá-lo, já no segundo mapa, devemos achar um zumbi guarda que detém a chave para acessar os terminais e ativá-los, fazendo isso temos acesso ao elevador. Terceiro e último mapa, cheio de verticalidade e mini elevadores, aqui temos que achar três cilindros e destruí-los, fazendo isso abrimos o levador para concluirmos nossa fuga. Essa é a premissa da demo, porém o máximo que chegamos a ir, foi no terceiro mapa e dois cilindros destruídos, a quantidade de monstros invocadas pelo vilão é surreal, soa ate desbalanceado. 

Jogando como Mister Mind, você escolhe um pré set antes, que irá definir as posições dos objetivos dos sobreviventes, que é o que faz a partida para eles ser diferente. Iniciando, você tem acesso ao mapa e as câmeras para ver onde seus "ratinhos" estão, você poderá invocar monstros e armadilhas nos cenários para atrapalhar seu progresso, assim como instalar metralhadoras na câmera que estiver para dar dano direto. A princípio parece meio confuso, mas logo se pega o jeito, fui o último da galera a testar o vilão, consequentemente o pessoal já estava familiarizado com o restante do jogo e conseguiram se sair muito bem no mapa 1 e 2, literalmente me atropelando, mas foi no mapa 3 que consegui brilhar e virar o jogo, impedindo-os de quebrar qualquer um dos cilindros. Não ficou claro se foi por conta do desempenho dos sobreviventes nos mapas anteriores, mas nesse último mapa tive um boost nas minhas cartas e no qual rápido a barra de utilização carregava, soando meio injusto para eles, pois em pouco tempo o lugar estava literalmente infestado de monstro e para finalizar ainda pude encarnar na pele do Mr.X, o que aterrorizou ainda mais meus adversários.

Para ser sincero torci muito o nariz com o anúncio deste game, simplesmente por apenas carregar a 'casca' da franquia Resident Evil, poder testá-los me mostrou que realmente ele não é um clássico que está por vir, mas que ainda sim é possível me divertir com ele, porém, com várias ressalvas, são elas: será necessário jogar com os amigos para obter total diversão, se for arriscar jogar com aleatório poderá haver diversos tipos de frustrações.

Project Resistance, ainda não confio em você, mas ganhou minha atenção.

Vale lembrar que Project Resistance é apenas um nome provisório e que o game ainda não tem nem data de lançamento, então esperem por muitas novidades e mudanças.