Análise



Análise Mortal Kombat 11

GET OVER HERE!

Cassio da Silva
16/05/2019 11h56

Nunca tive o costume de jogar jogos de lutas desde que me lembro por gente, muito pelo fato de ser um grande batata neles, e sempre ter de “apelar” para a menor dificuldade do jogo. Mesmo quando ganhei meu Super Mega Drive 3 com o Mortal Kombat 3, isso não mudou muito, não virei um rato do jogo nem melhorei minhas técnicas de combos e golpes especiais.

Nas duas últimas gerações, com as mudaças nos jogos clássicos de luta e algumas franquias novas, me dei mais uma change neles e, para minha surpresa, eu gostei de joga-los. Muito mais pelo fato de terem um modo história, que me fez conhecer o background de alguns personagens que já gostava e me incentivou a aprender a jogar com eles.

Desde seu anúncio, já estava ansioso para jogar Mortal Kombat 11. E a espera valeu a pena! 

História


Desde Mortal Kombat 9 temos uma boa história, algo além de subir Torres e enfrentar o Boss. Nessa versão tivemos um reboot da série, com o Raiden alterando a linha do tempo a seu favor, porém essas alterações trouxeram grandes problemas. Ao final de Mortal Kombat X Raiden se corrompeu com todo o poder do amuleto de Shinnok, que o deixou mais forte e alterou sua percepção do bem e mal.

Em Mortal Kombat 11 descobrimos que a mãe de Shinnok Kronika, controla as areias do tempo e não está contente com o rumo da história que Raiden criou. E agora, com a ajuda de alguns vilões e heróis do passado Kronika quer reescrever a história e o balanço entre luz e trevas e ganhar vantagem somente pra ela.Raiden sabendo o que seu futuro o aguarda, realiza uma consulta com os Deuses Antigos que informam que o futuro ainda pode ser escrito de maneira diferente e que cabe a Raiden encontrar a forma.

Curioso? Você pode acompanhar todo o modo história, da versão de Nintendo Switch, em nosso canal no YouTube.

Gameplay


Devido ao sucesso do jogo Injustice, tanto o 1 quanto o 2, muitas das mêcanicas deles foram adicionadas a MK11 complementando, a já clássica, jogabildade da franquia.

Os combos pesados que parecem não ter fim também foram um pouco "podados", dando um pouco mais de espaço para combos curtos e simples. Apesar do que foi “sacrificado” aqui, as mecânicas introduzidas trazem uma camada de estratégia e táticas que é muito interessante pra galera que leva o jogo mais a sério, que manteve o valor recompensador para os jogadores veteranos e ainda sim sendo bem convidativo para novos jogadores.

Também, tivemos a introdução do modo de kustomização, que nos deixar personalizar desde as roupas do personagem até a introdução nele no combate e também, a possibilidade de definir como a IA de cada um dos personagens se comportará na batalhas.

Diariamente o jogo coloca missões que dão pequenas recompensas para batalhas contra a CPU, algo que é mais voltado as jogadores mais casuais. Além disso, temos muitas outrs opções de jogo. Vamos ver algumas abaixo:

Towers of Time:


Para quem jogou Injustice 2, elas são o equivalente do Multiverso, mas com algumas mudanças boas e outras ruins. Nessa, temos a a possibilidade de jogar batalhas em cooperativo (online), o que é muito interessante. Também, temos duas seções nesse modo que são independentes do tempo, em uma você pode pagar 25 mil moedas do jogo para destravar torres específicas de um personagem e, ao completá-las, destravar cosméticos para ele. Já a outra seção só é destravada quando encontramos chaves específicas na Kripta.

Lembrando ainda que aqui podemos utilizar os itens consumíveis para deixar coisas mais apimentadas (algo pelo qual a série é famosa). Uma das ressalvas é que algumas torres têm chefões que são extremamente difíceis, com vidas de cinco a sete vezes maiores e com modificadores injustos para o jogador, forçando a customização com progressão lenta para a vitória.

Krypta:


A ideia da Kripta de MK11 continua, em sua essência, a mesma: use as moedas obtidas jogando para destravar itens cosméticos ou opcionais. Porém, o modo em si recebeu um tratamento absurdo: você controla um personagem misterioso e pode andar por toda a ilha de Shang Tsung. Para quem é fã da série, é um modo simplesmente incrível! Isso significa que você visita diversos locais clássicos do Mortal Kombat original.

Diferente de MKX, os baús aqui são aleatórios e há muitos, mas muitos deles, e eles não são baratos. Isso até que não é um problema, mas sim o fato de que além dos finalizadores, artes conceituais, itens estéticos, ícones, figuras para cartões de jogador e outros itens “bobos” se misturam. O que te obrigada a fazer um “grind” absurdo  para abrir os 600 baús.

IA Online Battle:

Na Batalha de I.A você deverá escolher três personagens (já com kustomizados) para defender sua Tag e competir com outros players online, igual em Injustice.

A defesa funciona sem que você saiba ou controle. Outros jogadores poderão desafiar seu time com seus respectivos times de ataque e você, por sua vez, poderá fazer o mesmo. E então assitirá a CPU controlando os dois times para saber qual será o vitorioso.

Esse modo de jogo possui também seus desafios semanais e terá ranking. A NetherRealm criou o seu próprio “Football Manager” de Mortal Kombat! Um modo competitivo que você não precisa saber jogar, mas sim ter conhecimento e boa intuição para as customizações de habilidades dos personagens.

Visual e Áudio

Mortal Kombat 11 é sem dúvidas o mais cinematográfico de toda franquia. Visualmente, MK11 é belíssimo, desde o fundo do mapa até as expressões de cada personagem, é uma obra de arte. As cutscenes são um colírio para os olhos, graças a nova engine que foi utilizada no game, da mesma forma que as lutas e seus efeitos gráficos, rodando tudo em 60 fps. A entre os gráficos do X e 11 é gigante.

Apesar de ser um ponto em quem poucos jogadores reparam, a trilha sonora do jogo combina e motiva o jogador em cada luta da campanha, se encaixando perfeita em cada mapa e momento do jogo e gerando uma adrenalina extra em cada combate.

Veredito

Mortal Kombat 11 é um excelente jogo de luta com um pacote completo: lutas espetaculares, densidade de gameplay, online bacana, história fluida com um enredo bem desenvolvido e um modo de kustomização para todos os gostos. Parece que a Netherrealm realmente criou um jogo de luta que vai perdurar por muito tempo na mão dos jogadores.

Pra quem ainda não conhece ou não se familiariza com esse estilo de jogo, esse é o ideal para dar uma chance.

Prós

Kustomização muito vasta e com muitos elementos visuais;

● História extremamente cativante;

● Jogabilidade refinada, com muita profundidade, densidade e opções que balanceia os combates

Contras

● Algumas Torres do Tempo são forçadas e injustamente difíceis;

● O sistema de conquista de extras na Kripta é extremamente forçado e, aparentemente, forçado para microtransações


Agradecemos a Warner Games pelo envio do jogo para a realização dessa análise, que foi feita em um Playstation 4 Pro. Vale lembrar que o jogo também está disponível para o PC, Xbox One e Nintendo Switch.

Confirá também nossa análise do jogo para o Nintendo Switch.

Mortal Kombat 11 já está disponível para todas as plataformas, dublado em PT BR e caso você adquira nas stores online BR, essa virá com a skin do Kano Cangaceiro.


AvaliaçãoNota
História 9
Gameplay/jogabilidade 9
Visual 10
Áudio 10
Replay 7

NOTA FINAL

9.00

Veja também