3DSMobilePCPS3PS4VitaWii UXbox 360Xbox OneNINTENDOXBOXBATTLEFIELDMARIOWIIUPRIMEIRA PESSOASMASH BROSYOUTUBEFLIPERAMATORNEIOONLINEHISTóRIASPUCONMIIPOP CULTUREMATTELHOT WHEELSCHILEKING OF FIGHTER 97PC GAMER

Análise



Análise Kingdom Hearts 3

Let it go, let it go, Kingdom Hearts finalmente chegou

Eduardo Andrade
20/02/2019 14h19

Comecei a jogar Kingdom Hearts ainda no PlayStation 2, com aquela promessa de misturar os personagens da Disney e da Square, não tinha como resistir. Formar um time com o Pateta e o Donald tornou uma das minhas franquias favoritas. 


Nunca imaginava poder enfrentar do Cloud até um Titã numa arena chamada Coliseu, me pareceu uma ótima ideia. E ainda, com uma história simples. Pronto já estava apaixonado pelo jogo. 

Foi de sete puros corações das princesas, à uma organização que criava corpos para receber corações e a história foi complicando, até que, chegamos nas VIAGENS NO TEMPO e aí, buguei de vez. 

Mas uma coisa posso te adiantar, Sora está sem o Power of Waking, Riku e Mickey estão em busca da Aqua e eu, perdido nesse meio. 

Sério, joguei todos os Kingdom Hearts até o momento e a cada minuto de história, parece que só vi as capas dos jogos anteriores. 

Preparamos algumas matérias (clique aqui)  para te ajudar a entender melhor toda essa história. E se prepara que a história leva um tempo. 


Gameplay

Para Kingdom Hearts 3 a Square modificou pouco a jogabilidade, estando ainda muito familiar para os mais velhos de casa. Já para os mais novos pode parecer bagunçado, porém é só ler todos os tutoriais e alguns mundos, que estará apto. 


As grandes novidades no sistema de combate, além das atrações da Disney, são as invocações, no meio da batalha. Como, por exemplo, invocar um barco pirata e mudar sua maré de azar. 

;)

A novidade mais divertida é a Keyblade. Agora ela assume diferentes formas momentaneamente durante a batalha. Um bom exemplo é a Keyblade que você pega com o Pooh, no segundo nível ela vira duas pistolas que atiram mel, e no terceiro nível um canhão de mel.

Donald e Pateta estão lá fingindo que estão lutando, você pode configurar para o Donald não sair do seu lado e quando você menos espera ele está Complete Rogue passeando pela batalha. 

Os Links (Summons), estão presentes e temos boas surpresas que não irei estragar. 


Como disse, toda a jogabilidade está muito parecida com os jogos anteriores quando estamos em batalha. O Tio Patinhas comprou um restaurante em Twilight Town e colocou o Little Chef do Ratatouille para cozinhar, você pode coletar ingredientes espalhados pelos mundos e preparar refeições, além de ganhar bônus temporários quando consome. 

Gummi Ship


O odiado (pelo menos por mim) está de volta, nos Kingdom Hearts anteriores era um saco. Viajar de mundo em mundo era uma dor, sempre tinha que usar essa bendita nave do Tico e Teco

Peraí, estou reclamando sem ao menos explicar, né? Então, vamos lá!

Nos jogos de Kingdom Hearts você tem que viajar entre mundos, até aí ok. Cada franquia da Disney é um mundo separada e o jogo possui alguns mundos próprios. A viagem entre esses mundos é feita por uma nave especial criada pelo Tico e Teco, isso mesmo, aqueles dois esquilos são engenheiros reais da corte de Mickey. Eles desenvolveram essas naves especiais chamadas de Gummi Ship, para as viagens entre mundos. 

No geral, era um jogo de nave onde você seguia em frente com dor nos olhos, mas em Kingdom Hearts 3, tudo mudou. Agora temos um mundo aberto cheio de missões e coisas extras para doer seus olhos. Ainda é chato, contudo temos muito mais coisas para fazer nessa chatice. 

Melhorou um pouco comparado aos últimos. Como todos os Kingdom Hearts, simplesmente ignorei essa mecânica e segui em frente. 

Áudio e Visual

Kingdom Hearts normalmente possui gráficos impressionantes e envelhece muito bem, o mais novo não deixa por menos. A cada mundo nos surpreendemos com a qualidade do jogo. Personagens da Disney fielmente recriados e mundos cheios de referências. 

A trilha sonora, por sua vez está impecável, a dublagem dos personagens está perfeita. Alguns mundos não contam com a dublagem original da Disney e só descobri pois Toy Story, denunciam nos créditos.

Novos Mundos 

Em sua grande maioria o jogo conta com novos mundos, não vou estragar falando quais são, mas posso adiantar sobre dois mundos que me chamou atenção, um novo e um retornando. 

Arendelle, o mundo de Frozen que estreia em Kingdom Hearts, normalmente temos forças externas atrapalhando os mundos e mudando a história que conhecemos. Entretanto, isso não acontece em Frozen. A história é quase a mesma, com interferência mínima e seu parceiro no mundo não poderia ser pior. 

O novo mundo desaponta na história, apesar de ser muito bem feito, fiquei desapontado e de longe é o pior mundo de toda a franquia. 

Ainda bem que temos algo para compensar, The Caribbean o mundo do Jack Sparrow. Com um retorno fantástico, considerei a melhor parte do jogo, cheio de novidades e missões diferentes. Todas as vezes que voltei, pós game passava por ele tive para aproveitar mais. 

Os personagens ficaram incríveis nesse mundo, sem contar que, você ganha uma das melhores Keyblade do jogo. Se prepare, pois quando chegar nesse mundo, não vai querer sair. 

Veredito

Acho que já falei demais, né? Kingdom Hearts é isso e não consigo me segurar. Não posso afirmar que o terceiro é o melhor da série, mas ele vem para resolver muitas pontas soltas e valeu a pena esperar.

Como todos os anteriores estou aproveitando muito o pós game, cheio de missões para fazer. 

Prós

  • Piratas do Caribe;
  • Novas habilidades;
  • Replay. 

Contras

  • Frozen;
  • Gummi Ship. 

Kingdom Hearts 3 está disponível para PlayStation 4 e o Xbox One. Confira a seguir um pouco do game.

AvaliaçãoNota
História 9
Jogabilidade 10
Visual 10
Áudio 10
Replay 9

NOTA FINAL

9.60

Veja também

Parceiros

FacebookYouTube