Análise



Análise Borderlands 3

Bem vindos de volta Caçadores de Arcas!

Renan Lima
03/10/2019 14h23

Borderlands, é uma franquia que pelo menos para mim, foi amor à primeira vista e desde o lançamento do primeiro game pela Gearbox, não consegui parar de jogá-lo, ele reúne elementos que sempre me atraíram, um FPS com ótima jogabilidade, um bom lore, a mistura com gênero RPG e bons personagens.

Ainda mais porque anos após seu lançamento, outras versões remasterizadas para os consoles atuais saíram, o que deixa o jogo sempre fresco na memória de todos e com as mecânicas atualizadas.

Foi uma enorme alegria saber que esse jogo teria outra sequência e desde seu anúncio, só fiquei pensando na quantidade de melhorias, armas e diversão que esse novo título traria, pois então… Será que Borderlands 3, atinge esse objetivo? A Gearbox conseguiu acertar outra vez?

Vamos descobrir…

 

História

Nessa nova aventura somos apresentados a 4 novos Caçadores de Arcas, Moze, Fl4K, Zane e Amara.

Dessa vez enfrentaremos os irmãos Troy e Tyreen, ambos são Sirens e muito poderosos, são líderes da seita Crianças da Arca e buscam os poderes existentes nas Arcas nos diversos planetas no game, já que Tyreen consegue absorver o poder de outros seres para ela, e esse poder que ela absorve, ela divide com seu irmão gêmeo Troy, que ela considera um parasita, pois depende dela para se manter vivo além de ser o grande mistério do jogo, já que não existem Sirens homens, só mulheres.

Personagens dos Borderlands antigos aparecem e Lilith, líder dos Crimson Raiders convoca os novos Caçadores de Arcas para auxiliar a defender contra a seita dos irmãos.

E é aí, que começamos nossa aventura, cheia de easter eggs, reencontros com personagens chave da série como Brick, Mordecai, Claptrap, Maya e Tina por exemplo, e muitos momentos engraçados.

 

Jogabilidade

Falando sobre os novos Caçadores de Arcas, temos a Moze, que tem o foco em causar o máximo de dano possível com suas armas e seu Robô gigante, que ela pode pilotar para combater os inimigos e dizimá-los sem pena.

O Fl4k tem seus mascotes para acompanhar durante sua gameplay e ataques focados em dano crítico, um personagem bem equilibrado.

Temos o Zane, um soldado com habilidades de ilusão e que possui um drone também para auxiliar a eliminar todos inimigos rapidamente.

Por último, a Ninfa Amara, super poderosa, focada nos seus ataques mágicos e danos elementais, uma classe muito divertida também.

O jogo mantém grande base de sua jogabilidade padrão, houve uma boa melhora na física dos inimigos e acrescenta novos movimentos que aumentam o dinamismo de maneira surreal, movimentos como escalar objetos, o slide e o controle mais fluido do personagem, tornam a experiência super gostosa e natural.

Como sempre, temos muitas missões de história, missões paralelas bastante interessantes e variadas, ótimos NPCs, novos e antigos e muitos easter eggs dos jogos antigos.

O prato completo para um fã do game, mas que também explica o suficiente para novos jogadores da franquia não se perderem.

O jogo traz muitos novos inimigos e em quantidades absurdas (mesmo!), então prepare-se para todo tipo de combate possível.

Cada planeta tem suas características e inimigos próprios e as batalhas com os bosses e mini bosses estão mais épicas do que nunca.

Há também milhões de armas e equipamentos, então o farm como de costume está insano.

 

Visual e Áudio

Falando do visual, o jogo está mais lindo do que nunca, ainda mantém o gráfico cartunesco, característica da série, mas utiliza uma nova paleta de cores, o que torna tudo mais vivo e bonito, além de nos apresentar novos planetas com suas peculiaridades e inimigos próprios, tudo muito bonito e trás um frescor maravilhoso para o game, pois não ficamos apenas em Pandora, o planeta dos 2 primeiros games.

Temos aqui também que agradecer aos desenvolvedores por localizar o game e trazer legendas e as interfaces todas em português, pela primeira vez na série, o que torna a experiência muito agradável.

O som das armas, inimigos e a trilha sonora estão excelentes, não detectei na minha play, nenhum problema com os aspectos sonoros do game.

Tive em alguns momentos quedas de frame rate, no Playstation 4 Pro, após alguns updates, parou de ocorrer com a frequência dos primeiros dias em que o jogo foi liberado, mas, fica o registro aqui, pois em consoles padrão, deve ter rodado com mais dificuldades ainda, sabemos apenas que os desenvolvedores do jogo estão trabalhando nesses casos.

Replay

Como em todo Borderlands, o replay é excepcional, pois assim que você completa as missões da história, pode começar o seu farm sem dó nem piedade ativando o modo Mayhem, que tem 3 níveis, sendo o 3 mais difícil possível. Com o Mayhem ativado, aumentamos a dificuldade e as chances de drop de armas lendárias.

E se não tiver chegado, o ideal é pegar logo nível 50, que é o level máximo do jogo, para que você só drop armas no nível máximo e aquela arma lendária que tanto quer, bom, agora é hora de farmar ela.

Pode se voltar nos bosses e a diversão é garantida por horas e horas, você também pode upar outros personagens das outras classes, e fazendo tudo isso em co-op com mais 3 amigos, é divertido demais.

 

Veredito

O jogo volta com tudo e chega chutando a porta, uma grande experiência para quem aguardava a volta deste clássico que traz uma bela história, risadas garantidas, muita exploração, loot e farming.

Sem dúvida volta como um grande acerto da Gearbox e deixará com certeza tanto os antigos fãs de Borderlands felizes, quanto aos novos que começarão a jogar o game agora.

Teve sim problemas com queda de frame na minha experiência, mas, foi rapidamente corrigido com alguns updates e percebemos que a equipe desenvolvedora do game está engajada em resolver rapidamente esses problemas.

Que venham as futuras DLCs que sempre são muito boas e os eventos, tendo o próximo já sido anunciado, como evento de Halloween para outubro, se chamará Bloody Harvest, trará armas novas, cenários e novo boss. Um dos muitos eventos gratuitos anunciados pela desenvolvedora do jogo.

 

Prós

  • Visual/Design;
  • Jogabilidade Marcante;
  • Replay Recompensador;
  • Nostálgico.

Contras

  • Alguns problemas de performance nos consoles.

Jogo está disponível para Playstation 4, Xbox One e PC.

Análise realizada após jogar o game no Playstation 4 Pro.

AvaliaçãoNota
História 9
Gameplay/Jogabilidade 9
Visual 8
Áudio 9
Replay 10

NOTA FINAL

9.00

Veja também